A ARTE DE STAN LEE

Os sucessos de hoje dos cinemas X-Men, o Homem-Aranha, o Quarteto Fantástico, o Incrível Hulk, e o Homem de Ferro batem recordes de bilheteria e investem pesado nos efeitos especiais para garantir destaque. Mas todas essas produções têm um responsável, um velhinho que vai completar este ano 87 anos, ou seja, Stan Lee.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Lee alistou-se no Exército dos Estados Unidos e serviu na parte de comunicação, escrevendo manuais, slogans, filmes de treinamento e claro desenhando, sempre estava mostrando suas inspirações.


No fim da década de 1950, a DC Comics estava no auge porque tinha criado a Liga da Justiça da América, dando uma renovada no gênero dos super-heróis. A Marvel se sentiu ameaçada e por isso decidiu criar um time de super-heróis novo em folha, e quem ficou com essa responsabilidade foi ele, Stan Lee. Foi a partir daí que sua carreira começou a se destacar, e com os conselhos de sua mulher decidiu experimentar histórias que ele preferia.

Em seus trabalhos os heróis tinham um temperamento ruim, ficavam melancólicos, cometiam erros humanos.Eles se preocupavam em pagar as contas e impressionar várias garotas, e às vezes ficavam até doentes. Os personagens desse gênio se encaixaram perfeitamente na imaginação dos adolescentes e jovens, por isso as vendas aumentaram de forma assustadora. A partir dessas ideias surgiram os títulos consagrados como O Quarteto Fantástico, o Incrível Hulk, o Homem de Ferro, Thor e os X-Men com Kirby; Demolidor (Daredevil) com Bill Everett; Doutor Estranho e com certeza o personagem de maior sucesso da Marvel: o Homem-Aranha.

Além de ser um dos responsáveis pela criação dos quadrinhos, Lee também participou dos longa metragens. Ele pode ser visto prestes a atravessar a rua com um jornal no filme do Demolidor, como um segurança saindo de um prédio em Hulk, como um carteiro em Quarteto Fantástico, como um penetra no casamento em Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado, como um jardineiro em X-Men 3: O Confronto Final, como um vendedor de cachorros-quentes em Homem-Aranha e como um pedestre em Homem-Aranha 2. Ele também aparece em Homem-Aranha 3, onde comenta com Peter Parker o fato de uma pessoa ser capaz de fazer a diferença, numa calçada em frente a um letreiro. Até na série Heroes ele apareceu.
Com certeza o diferencial desse profissional foi que seus heróis foram colocados como seres humanos normais, onde qualquer um pode ser, eles não eram inacessíveis. Como exemplo é Peter Parker, um jovem que não faz sucesso com as mulheres, impopular, mas consegue se tornar o Homem-Aranha. E mesmo assim continua com os mesmos conflitos de um ser humano. Vale lembrar as frases “Grande Poderes Trazem Grandes Responsabilidades”, no momento em que Parker se vê um herói poderoso, entretanto por causa disso todos as pessoas que estão a sua volta correm perigo.

“Às vezes para fazer a coisa certa temos que desistir das coisas que mais queremos, até mesmo dos nossos sonhos”, essa é quando ele decide desistir de Mary Jane para que nada de mal aconteça a ela. Resumindo, tudo isto é a arte de Stan Lee.
Anúncios

Uma resposta em “A ARTE DE STAN LEE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s