COMO AS COPAS DO MUNDO SOFRERAM COM AS PERSEGUIÇÕES POLÍTICAS?

349348

A Copa do Mundo é um evento que extrapola os quatro cantos do planeta, provavelmente é um dos poucos eventos que para a Terra literalmente. Apesar disso, essa competição esportiva não está imune ás perseguições políticas que já assolaram o mundo. Veja a baixo pequenas histórias verídicas que comprovam esta afirmação.

O Nazismo e a Bola – 1

511YZSBM5CL O futebol alemão caminhou de braços dados com o regime de Hitler. Lançado em 2005, o livro Fussball Underm Hakenkreuz (“O Futebol sob a Suástica”, sem versão em português) dissecou a colaboração da federação alemã e de quase todos os clubes com o governo nazista. A conclusão: apenas o Bayern de Munique, que tinha fama de “clube dos judeus” por acolher atletas perseguidos, não se engajou no projeto nazista.
Bayern-Munich
Seu presidente, Kurt Landauer, chegou a ir para um campo de concentração. Mas ele era exceção. O técnico Sepp Herberger, por exemplo, se associou ao Partido Nazista em 1933 e assumiu a seleção em 1937. Continuou no cargo mesmo após a guerra – e foi campeão mundial em 1954.
O Nazismo e a Bola – 2

hitler_and_mussolini_june_1940
A meta nazista de provar sua superioridade racial através dos esportes ficou mais próxima quando a Alemanha anexou a Áustria meses antes da Copa de 1938. A seleção austríaca era uma das melhores da época e seus atletas atuariam pela Alemanha. Mas Matthias Sindelar, maior craque austríaco de todos os tempos, se recusou a jogar para Hitler. O supertime fracassou e Sindelar passou a ser perseguido como “simpatizante de judeus”. Em 1939, foi encontrado morto. A causa mortis jamais foi explicada.
Fascismo e a Pelota

Final
“Levei 4 gols, mas salvei 11 vidas.” Essa é uma frase do goleiro húngaro Antal Szabo, após a derrota por 4 a 2 para a Itália na final da Copa de 1938. Antes da partida, repetindo o que fez na final de 1934, o ditador fascista italiano Benito Mussolini mandou aos jogadores de sua seleção a sinistra mensagem “Vençam ou morram”. E ele não falava em sentido figurado.
Mesmo perdendo a taça, pode se dizer que o goleiro da Hungria salvou a voda dos italianos.
Ditadura na Argentina

S0625_Argen_Holland_GI009.jpg
A ditadura militar que se instalou na Argentina, em 1976, tomou conta também da Copa de 1978. Antes da competição começar, muitos jogadores e seleções ameaçram não aparecer. Apesar disso, apenas o craque holandês Cruyff não compareceu.
*** As informações do post foram retiradas do site da Super Interessante.
Anúncios

Uma resposta em “COMO AS COPAS DO MUNDO SOFRERAM COM AS PERSEGUIÇÕES POLÍTICAS?

  1. Muito bom o post Renato, com um viés totalmente diferente daquilo que acompanhamos em sites esportivos e portais.

    Parabéns pela pesquisa e pelo tema que assim como a fonte é Super Interessante.

    Abs de mais um fanático por futebol

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s