O ESTRANGEIRO

fto_ft1_10909 Guilherme Leme encena o monólogo O Estrangeiro no Teatro Eva Herz. A trama é um dos mais famosos romances do século XX, escrito pelo francês nascido na Argélia, Albert Camus, em uma adaptação do dinamarquês Morten Kirkskov.
Na peça, Meursault (Guilherme Leme) leva uma vida banal, recebe a notícia de morte da mãe, comete um crime, é preso, julgado, tudo gratuitamente, sem sentido, sendo assim mais um homem arrastado pela correnteza da vida e da História. O seu drama pode ser lido como o drama de qualquer pessoa do seu século, que se depara com o absurdo, ponto central da obra de Camus.
O personagem não encontra explicação, nem consolo para o que acontece em sua trajetória, tudo acontece a sua revelia e nada faz o menor sentido. Ele se depara e se angustia diante da Liberdade e do absurdo. Quando descobre que essas duas condições são intrínsecas, finalmente encontra a paz.
Antes de subir nos palcos mais uma vez, o ator contou com foi a concepção de O Estrangeiro, os dilemas envolvidos pelo seu personagem, além de enfatizar o crescimento de uma peça com o decorrer da temporada. Ao mesmo tempo, Guilherme Leme falou de Rockantygona, trama que dirige e está em cartaz no Teatro do SESC Santana em São Paulo.

ClickCultural – A história do espetáculo se passa em vários lugares como um funeral, julgamento. Entretanto, no palco, existe apenas sua atuação e o grande trabalho na iluminação. Apesar disso, a plateia consegue ver todos esses locais que são descritos nas cenas. Como é trabalhar com isso?

Guilherme Leme – O público enxerga, porque eu enxergo. Quando o ator vê alguma coisa, ele também consegue transmitir para a plateia. Na cena do velório da mãe do Meursault [personagem do ator], construo a cena na minha cabeça, até mesmo a interação dos personagens que estão no local. Em vários momentos de O Estrangeiro fico em silêncio, pois o personagem está pensando, algumas pessoas já vieram e falaram que notaram isso. Quando o ator vivencia de verdade, o espectador acaba captando.fto_ft1_10908ClickCultural – O seu personagem Meursault é um homem bem sincero, não liga de demonstrar suas opiniões. Por causa disso, ele acaba sendo muito julgado. De onde vem toda essa indiferença dele?

Guilherme Leme – Como diz o próprio Albert Camus [Dramaturgo], Meursault é um homem nu e cru perante a sociedade. Ele não faz parte do jogo social, principalmente na questão da hipocrisia, que significa mentir. Não é apenas a questão de dizer a verdade, é falar menos ou mais que a verdade. A sociedade exige a pequena hipocrisia, nisso se encontra a indiferença do personagem. Esse esquema social não pertence a ele, no livro, Meursault percebe que essa vida é absurda e só será feliz se ele se tornar uma pessoa absurda.
ClickCultural – O que te inspirou a montar O Estrangeiro?

Guilherme Leme – Foi quando li a adaptação do meu amigo dinamarquês Morten Kirkskov. Já tinha lido o romance quando era mais jovem e não tinha ficado essa paixão. Entretanto, ao reler eu disse: Esse será meu próximo projeto.
ClickCultural – Um monólogo é mais difícil que uma peça convencional? Pois, é você e a plateia?

Guilherme Leme – É mais trabalhoso, tem que ser mais corajoso, mas todo trabalho é difícil. Tem personagens que são mais fáceis, outros são mais difíceis. O Estrangeiro foi difícil, mas me joguei de corpo e alma, algo apaixonante.
ClickCultural – Com foi sua parceria na direção com a Vera Holtz?
fto_ft1_10910
Guilherme Leme – Quando chamei a Vera Holtz para dirigir a peça, ela estava gravando muito com uma novela, não tinha tempo. Quando marquei a data de estreia, não tinha um diretor. Estava trabalhando sozinho nas leituras por uns dois anos. Combinamos que eu cuidaria da luz, cenário e ela cuidaria da minha interpretação. Depois as duas funções acabaram se juntando.
ClickCultural – Qual o grande barato de pisar nos palcos?

Guilherme Leme – Na verdade, eu gosto de atuar, seja no teatro, televisão ou cinema. A mídia independe, o grande barato mesmo é atuar. O legal do teatro é que tenho mais autonomia. Eu que escolho meus projetos, equipe, sou meu próprio chefe.
ClickCultural – Você é ator e diretor, o que te trouxe de positivo ao ter a visão dos dois lados?

Guilherme Leme – Eu sou um ator ativo, sempre me preocupava com todas as funções de um espetáculo. Nunca fiquei restrito ao trabalho de ator, gosto de ficar ligado na luz, cenografia. Isso me deu uma visão de diretor, por isso acabei entrando nessa função.
fto_ft1_10911 ClickCultural – Você tem algum ritual para entrar na atmosfera do seu personagem em O Estrangeiro?

Guilherme Leme – Sim, eu faço Tai Chi, algo que me coloca no eixo. Já praticava antes, virou uma forma de se concentrar para o espetáculo.
ClickCultural – Além de atuar em O Estrangeiro, você é diretor do espetáculo Rockantygona, que está em cartaz no Teatro do SESC Santana em São Paulo…

Guilherme Leme – Isso mesmo, Rockantygona é uma tragédia grega, onde fiz uma leitura mais contemporânea. Tem um lado mais pessoal, pois coloquei em prática meu conhecimento em artes plásticas e pintura. Isso me deu uma visão estética muito forte para dirigir a peça. A trama aborda o direito do estado e do ser humano, é uma história atemporal.
ClickCultural – O teatro é diferente? Pois, em todas as sessões é preciso manter o frescor do espetáculo, o trabalho não acaba na estreia.

Guilherme Leme – Cada dia é diferente, nenhum espetáculo é igual ao outro. É preciso batalhar para manter a chama acesa em toda a temporada. Com o tempo, existe uma evolução na interpretação. O verdadeiro ator, além de manter a chama acesa, a faz crescer. Começa com uma vela e acaba se tornando uma fogueira.

fto_ft2_9950

O Estrangeiro

Local: Teatro Eva Herz
Endereço: Avenida Paulista, 2073 – Livraria Cultura – Conjunto Nacional – São Paulo
Data: Sexta e Sábado às 21hs e Domingo, às 19hs até 21 de novembro
Preço: De R$ 40 a R$ 50
Tel: (11) 3170-4059
Rockantygona

Local: Teatro do SESC Santana
Endereço: Av. Luiz Dumont Villares, 579 – São Paulo
Data: Sexta e sábado às 21h e domingo, às 19h30 até 14 de novembro
Preço: De R$ 10 a R$ 20
Tel: (11) 2971-8700

* Matéria feita para o site ClickCultural
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s