COMEÇO OU FIM DO MUNDO?

Sem Título-1
Dois filmes tiveram bem em evidência nos últimos meses: A Árvore da Vida, de Terrence Malick, e Melancolia, de Lars Von Trier. Ambas as tramas fazem uma reflexão sobre a vida. A primeira aposta na redenção, já a segunda tem o viés mais pessimista do mundo.
Melancolia
Kirsten-Dunst-14Abr2011 As primeiras sequências são um epílogo do que estaria por vir, além de trazer cenas semelhantes à pinturas que ganham um ar de tensão com as notas musicais de  Richard Wagner.
Enquanto um planeta se aproxima ameaçadoramente da Terra, Justine se casa. Apesar de toda a festividade, existe algo errado, a personagem de Kirsten Dunst parece não entrar no clima, até o seu sorriso é melancólico. A limusine dos noivos não consegue fazer uma curva por causa de seu longo tamanho, a situação é vista como engraçada, porém esse era o indício de que uma tragédia já era iminente MP “casamento torto”.

melancholia_01Justine não vê sentido nas comemorações e rituais vazios da sociedade. Diferentemente dela, sua irmã Claire (Charlotte Gainsbourg) dá valor nas ações rotineiras do núcleo social. Acredita que seguir esses padrões é a receita para a felicidade. Será mesmo? Essa atitude aparente é uma maneira de bloquear a verdadeira realidade depressiva que domina o planeta. Uma máscara que esconde os cacos.

“O mundo é mal, ninguém sentirá falta dele”, diz Justine.Melancholia-28Abr2011-12A personagem de Kirsten Dunst não se desespera com a aproximação do planeta Melancolia com a Terra. Já Claire, não se conforma com a atitude de sua irmã e com o possível fim do mundo. – “Ás vezes eu te odeio tanto”.
Justine vê a colisão entre os planetas como uma forma de trazer uma cura para a Terra e ganhar sua libertação. A vida está cada vez mais desconfigurada diante das atrocidades e a morte seria a única zona de conforto. A cumplicidade entre as duas irmãs é enxergada com um toque de união, todavia o pessimismo de Lars Von Trier ressalta que esta é uma união através da dor.
A Árvore da Vida

Primeira-imagem-com-qualidade
“Por que o justo sofre?”. Essa parte da citação do Livro de Jó que abre o filme expressa o sentimento dos O’Brian. No longa de Terrence Malick, existem dois caminhos para se seguir.
O primeiro é a natureza que visa o prazer mundano, já o segundo é o da graça, que constitui na satisfação universal. A família central da trama decide seguir este último.
Com a perda de um dos filhos, a senhora O’Brian (Jessica Chastain) se questiona: Diante de toda a devoção espiritual, por que existe esse sofrimento?
Essa autoridade também é colocada em prática pelo pai terreno interpretado por Brad Pitt. Um arquiteto militar que queria ser músico, porém acabou não seguindo sua vocação.

Arvore-da-Vida-22Abr2011_06A Árvore da Vida não tem uma narrativa linear, apresenta o drama desta família que vive nos anos 50 e passa para a contemporaneidade com o irmão mais velho Jack, interpretado por Sean Penn, um homem melancólico e ausente em relação ao mundo. Ao mesmo tempo, o filme se volta para o começo dos tempos ao mostrar a explosão do Big Bang. Certos questionamentos são feitos desde o surgimento do planeta e penduram até os dias atuais. Belas paisagens e fragmentos ganham as telas para capturar a espiritualidade do Homem. Após uma verdadeira jornada, Terrence Malick se justifica com referências cristãs até chegar a redenção com os personagens.Sean-PennOs dois filmes, com o início e o fim do mundo, revelam a insignificância dos seres diante desses acontecimentos.O que lhes resta é encontrar um caminho para continuar (Moving On).
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s