DA EUFORIA À AMARGURA DE FORD

Sem Título-1O diretor soube como poucos fazer belas obras de faroeste retratando temas densos e com as belas paisagens do Monument Valley. Explorando o western, John Ford conseguiWAYNE STAGECOACHu captar a atmosfera da sociedade da época, desde a euforia de uma nação que acabava de sair da Grande Depressão ou de uma amargura que se estendia em torno de um mundo devastado pós Segunda Guerra Mundial.
No Tempo das Diligências
 
Na trama, uma diligência atravessa o interior do Arizona rumo ao Novo México, território Apache, levando uma espécie de amostragem da sociedade americana da época. Entre eles estavam a prostituta Dallas (Claire Trevor) expulsa da cidade de Tonto (Arizona) por um bando de mulheres indignadas; Doc Boone (Thomas Mitchel), um médico beberão; Henry Gatewood (Berton Churchill), o banqueiro que rouba o banco; a esnobe senhora Lucy Mallory (Louise Platt), grávida, viajando ao encontro do marido, oficial do Exército; Hatfield (John Carradine), o jogador Confederado; Samuel Peacock (Donald Meek), o vendedor de uísque; o xerife Curley Wilcox (George Bancroft); e o cocheiro Buck Rickabaugh (Andy Devine).
 1083_RS11_19384300199.jpgDurante a viagem se junta a eles Ringo Kid (John Wayne), um pistoleiro que fugiu da cadeia para vingar a morte do irmão e do pai. O ator era um desconhecido na época e tem uma entrada filmada de forma triunfal, enfatizada com o belo trabalho de iluminação. Vale dizer que um dos pontos fortes do filme é a profundidade de campo, trabalho de fotografia que seria uma das inspirações para a execução de Cidadão Kane de Orson Welles.stagecoachEm volta a uma tensão provocada pela Guerra de Secessão ou pela ameaça iminente de uma tribo Apache, são os dilemas dos personagens que enriquecem o longa. Assuntos como preconceito social, vício, lei, vingança, culpa, ambição, moral e idealismo estão entre as nuances que compõem a história. Ou seja, mais uma vez Ford ultrapassa as fronteiras de um bang bang entre bandidos e mocinhos.
No Tempo das Diligências também se destaca pela comédia, principalmente com o médico que vive sempre embriagado ou com o cocheiro Buck Rickabaugh. Ação não falta, Ringo Kid mostra todo seu poderio contra os ataques dos Apache, fato que o levaria John Wayne a se consagrar como o mito da América, uma exaltação dos valores americanos.
O Homem Que Matou o Facínora
libertyvalence2Considerado por muitos como o maior faroeste de todos, além do mais, traz a dupla James Stewart e John Wayne atuando juntos pela primeira vez. Dessa vez, o western vai além, não se trata da conquista do Oeste, o mundo dá lugar para as locomotivas ao invés das diligências que cruzam os vales americanos. O filme de 1962, ano da Crise dos Mísseis, estava em meio a um planeta tumultuado em função da Guerra Fria. O planeta estava em colapso e John Ford se revela um homem mais melancólico.
Em 1910, o Senador Ransom Stoddard (James Stewart) e sua esposa Hallie (Vera Miles) chegam numa pequena cidade para o funeral de Tom Doniphon (John Wayne). Entrevistado por um repórter, através de flashbacks, Stoddard conta a história de quando era advogado na cidade e como um fato importante moldou suas vidas para sempre.
O personagem de James Stewart é educado, veio da cidade, procura resolver qualquer assunto por meio do diálogo. Já John Wayne encarna um homem mais ríspido, que dá mais valor na ação, no gatilho de uma arma. Apesar das diferenças, eles partilham o mesmo desejo: acabar com a tirania de Liberty Valance (Lee Marvin). Além disso, outra aspiração de ambos é o amor da mesma mulher (Hallie, na época uma garçonete de saloon).libertyvalanceDiferentemente de No Tempo das Diligências, John Wayne aparece de forma mais discreta em sua primeira aparição, pois ele não é mais um desconhecido, já é um verdadeiro ícone. Stoddard não se conforma como as coisas são resolvidas em Shinbone, principalmente pela falta ação do xerife – Link Appleyard – um verdadeiro bonachão que só pensa em sua próxima refeição. A comédia também fica por conta do jornalista Dutton Peabody, que adora contar uma história entre um porre e outro.
A cena célebre é o duelo entre Valance e Stoddard, pela qual o bom samaritano se sai vencedor. Ford mostra que a mesma sociedade que constrói, também destrói. Procura um melhor ponto de vista sobre o fato, o que acaba determinando uma nova visão sobre o verdadeiro homem que deu cabo no fora-da-lei Liberty Valance [The Man Who Shot Liberty Valance]. Será mesmo que foi Stoddard? Aquele que tinha apenas como arma suas palavras e os seus livros de Direito?TheManWhoShotLibertyValance “Aqui é o Oeste, senhor. Quando a lenda é maior que o fato, publique-se a lenda”
 
Com essas palavras, o jornalista Maxwell Scott encerra o que perseguiria Pilgrim (apelido dado à Ransom por Tom) para sempre. Doniphon abdicou e escondeu a realidade que o deixaria no anonimato, sem os palanques do Senado, nem o amor de Hallie. Uma melancolia que se espalha por todos os personagens envolvidos. Uma crítica, uma desmistificação da lenda, algo que derrubaria valores pelos quais a sociedade se criou, ou até mesmo, se moldou.
Anúncios

Uma resposta em “DA EUFORIA À AMARGURA DE FORD

  1. ELES TENTARAM IMPEDIR VOCÊ DE CONHECER A VERDADE RETIRANDO O SITE DO AR!
    Mas você ainda pode ler o livro mais polêmico e revelador dos últimos tempos!
    = O POMO DE OURO =

    Sinopse: Henrique foi instruído nos mistérios da Maçonaria desde criança e tornou-se um bom Mestre Maçom. Entretanto, por ocasião dos atentados ao World Trade Center, no dia 11 de setembro de 2001, Henrique descobriu coisas tão perturbadoras que fizeram ele se afastar da Maçonaria e isolar-se do mundo, até que sua amiga Eva Cristina foi procurá-lo para ajudá-la a decifrar um código que o pai dela havia deixado numa carta antes de falecer em suas explorações arqueológicas. A partir daí, Henrique se vê obrigado a usar de seus conhecimentos secretos da Maçonaria para ajudar Eva a encontrar e devolver a quem de direito um objeto do qual depende o futuro da humanidade: o pomo de ouro.

    Com uma narrativa dinâmica e envolvente para uma trama repleta de mistério, aventura e reviravoltas, o leitor é apresentado a uma série de contradições envolvendo os atentados de 11 de setembro, se torna conhecedor das mentiras da Igreja Católica e dos mais finos mistérios da Maçonaria, além da interpretação contundente de um conjunto de profecias que parece estar se concretizando a todo o momento em nosso tempo.

    Realidade? Ficção? O Pomo de Ouro é a leitura mais intrigante, misteriosa e polêmica dos últimos tempos. Um livro único e imperdível!

    LEIA 07 CAPÍTULOS DO LIVRO GRATUITAMENTE NO SITE CLUBE DE AUTORES:
    http://www.clubedeautores.com.br/book/115624–O_Pomo_de_Ouro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s