CLINT: IMPLACÁVEL PT: 2

Unforgiven - Clint Eastwood 2Antes de ganhar notoriedade com a carreira de diretor, Clint Eastwood se consagrou com atuações em filmes de Sergio Leone, mais precisamente na Trilogia dos Dólares. Solitário, um homem de poucas palavras e sempre com um cigarro no canto de boca, essas características marcaram seus personagens no western spaghetti e em outros trabalhos do futuro.

19395-b-the-good-the-bad-and-the-uglyPor um punhado de dólares (1964), Por uns dólares a mais (1965), e Três Homens em Conflito (1966) foram um verdadeiro sucesso em terras italianas e norte-americanas, em especial o último, que fez Eastwood se tornar famoso mundialmente.

Em Por uns dólares a mais, Clint é um cavaleiro solitário que se beneficia com a briga de duas famílias em um pequeno vilarejo. Astúcia e o humor bem desenvolvido e a pontaria certeira deixam a trama no ponto certo para a degustação do expectador. O duelo final com Ramón é sensacional, Eastwood se revela um pistoleiro cheio de surpresas e imbatível com o dedo no gatilho.

Por uns dólares a mais traz todos os ingredientes que consagraram o primeiro longa. Clint continua sem dizer seu nome e coloca a rivalidade de lado com o Coronel Douglas Mortimer (Lee Van Cleef) para ir atrás de El Índio (Gian Maria Volonté). Além dos elementos cômicos, o longa esconde um lado dramático de um dos personagens, algo que vai além da recompensa e tem haver com vingança.

O duelo final fica por conta de El Índio e o Coronel. Clint finciona como o mediador ao instalar uma certa ética na disputa e desfrutar de camarote quem dispara primeiro após a última nota de uma melodia de uma caixinha de música (Um relógio com foto). Um enquadramento fantástico.

Good_trioÉpico é a palavra exata que resume Três Homens em Conflito. Nos primeiros 10 minutos nenhum som sai da boca dos personagens, apenas os gestos carregados de sentidos preenchem a tela. Os dilemas ficam por conta de The Good (Clint Eastwood), The Bad (Lee Van Cleef) e The Ugly (Eli Wallach) e se passa na época da Guerra Civil Americana.

O roteiro é cheio de reviravoltas na busca dos personagens por um tesouro escondido. Tuco (The Ugly) é responsável pela maioria das cenas engraçadas e, claro, das trapaças. Vale ressaltar a trilha sonora de Ennio Morricone que deixa a história com tom operístico, até o zunido das balas tem um ar musical. A chegada de Tuco ao cemitério (local do esconderijo do tesouro) com The Ecstasy of Golden é emblemática.

thumbnailA disputa final traz um duelo a três, um triângulo fenomenal no enquadramento cuidadoso e o olhar de Sergio Leone. As armas não são os personagens principais, as caras e bocas dos pistoleiros marcam esse efusivo embate.

Esses westerns vão em direção contrária as produções de John Ford, Anthony Mann, Howard Hawks, entre outros. As produções exaltam o mito do faroeste, o crepúsculo do Oeste. Mesmo na época em que o gênero estava no ápice, o tempo das diligências e as esporas desses cowboys já faziam parte do passado.unforgiven-originalA afirmação fica mais evidente com Os Imperdoáveis (1992). Na época do lançamento, o western já estava extinto dos cinemas. Foi tratado como o retorno do estilo, porém é o verdadeiro sepulcro, é uma produção que fala sobre o tempo carregado de amarguras do passado.

Para o garoto Schofield Kid (Jaimz Woolvett) ficaram as histórias cheias de duelos e matanças protagonizadas por ícones como William Munny (Eastwood). Este não é mais aquele pistoleiro com pose impenetrável, na verdade cria porcos, cai na lama, tirar a vida de alguém não é tão “legal”. “Matar um homem é algo infernal. Você tira tudo que ele tem e tudo que ele poderia vir a ter um dia”. Só restaram epopeias que são alimentadas por escritores como W.W. Beauchamp (Saul Rubinek). Não existe mais os duelos épicos, um homem pode ser morto até quando estiver na privada, o glamour acabou. Ned Logan (Morgan Freeman) compactua com esta visão, enxerga além do que as novas gerações podem ver.interview_eastwood-unforgivenNo final, William Munny evoca todo seu poder que ultrapassa os limites mundanos, surge em meio à chuva para fazer o que melhor sabe: “Já matei mulheres e crianças. Já matei tudo que anda e rasteja e estou aqui para matar você Little Bill pelo que fez com Ned”. Como se viesse do mundo dos mortos para dar vida a lenda que todos cultuam…

(Continua…)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s