O ARTISTA

o-artista-filme-2

Em tempos em que o 3D domina as salas de cinema para tentar ganhar uma fonte maior de lucro para os estúdios, eis que um filme resolve voltar às raízes, onde tudo começou a sétima arte. O Artista aderiu ao preto branco e ao cinema mudo, fato que deixou a produção em destaque no Oscar 2012.

o artistaA trama se passa na Hollywood de 1927, o astro do cinema mudo George Valentin (Jean Dujardin) é um verdadeiro ícone, é sucesso por todos os lugares, chama a atenção de todas as mulheres em seu caminho. Entretanto, os tempos são outros, existe a chegada dos filmes falados. Algo que o protagonista não dava a menor importância, porém ele começa a temer essa nova onda que pode deixá-lo no limbo do esquecimento. Enquanto isso, sua fã Peppy Miller (Bérénice Bejo) – uma jovem dançarina – tem a oportunidade de ser uma das figuras carimbadas dessa nova Hollywood.

Não é de hoje que uma nova linguagem trata como deficiência a anterior. O Artista é um filme mudo na sua essência, isso fica evidente nos gestos exagerados dos atores em cena. O p/b trouxe uma beleza para a fotografia, é uma bela homenagem ao cinema do diretor Michel Hazanavicius. A obra é uma boa oportunidade para o público que deseja conhecer ou entrar mais nessa linguagem, praticamente esquecida pelas produções cheias de feitos especiais (Filmes feitos propositalmente para não serem vistos. Parece que essa é a intenção).

cantando-na-chuvaApesar de todas qualidades, o longa não tem a mesma profundidade de filmes anteriores. Não é a primeira vez que se faz um filme sobre cinema. O clássico Cantando na Chuva (1952) traz Don Lockwood (Gene Kelly) e Lina Lamont (Jean Hagen), dois dos astros mais famosos da época do cinema mudo em Hollywood. Seus filmes são um verdadeiro sucesso de público e as revistas inclusive apostam num relacionamento mais íntimo entre os dois.

Contudo, com a chegada do cinema falado e a nova moda entre os espectadores, essa situação começa a mudar O longa mostra todas as dificuldades de fazer um novo cinema como a equalização do som, instalação de microfones, a questão dos roteiros. Esse modo de fazer exigiu que fossem empregadas novos recursos. Uma comédia que levanta questões sobre o valor dessa arte. Será que cinema é somente diversão? Além disso, vale destaque os números musicais proporcionados por Gene Kelly.

sunsetblvd5@E o que dizer de Crepúsculo dos Deuses de Billy Wilder de 1950? No início, um crime é cometido e uma voz em off começa a narrar que tudo começou quando Joe Gillis (William Holden), um roteirista que estava fugindo de uma financeira, decide se refugiar em uma decadente mansão. A proprietária é Norma Desmond (Gloria Swanson), uma estrela do cinema mudo. Quando a atriz tem conhecimento que Joe é roteirista, contrata-o para revisar o roteiro de Salomé, que marcaria o seu retorno às telas. O roteiro era insuportável, mas o pagamento era bom e ele não podia recusar.

Na trama, existe uma reflexão do cinema sobre si mesmo. Erich von Stroheim, Nancy Olson,Fred Clark, Lloyd Gough e Jack Webb interpretam papéis secundários. Já Buster Keaton, H. B. Warner e Anna Q. Nilsson, estrelas do cinema mudo, fazem participações especiais no filme. Os personagens vivem em um olimpo, onde os heróis estão em estado de mumificação, principalmente com o trabalho de luz. A mansão é uma espécie de sarcófago que se vangloria de tempos que não existem mais, eles simbolizam fantasmas de Hollywood.crepusculo-dos-deusesA história faz uma miscelânea de ironia, sarcasmo e melancolia. Norma simplesmente perdeu o contato com a realidade. “Eu sou grande, os filmes é que ficaram pequenos”. A cena final traz Erich von Stroheim atuando como diretor (Ele vive o mordomo no decorrer do longa) e a protagonista se prepara para sua última encenação, cheia de gestos exagerados, descendo as escadas até entrar em seu próprio mundo. Um dos melhores filmes de todos os tempos.

O Artista não tem toda essa magnitude, é símbolo de uma Hollywood que procura relembrar o auge de seu passado. Sentem falta de uma época que não viveram.o artista (1)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s