TODO MUNDO MORRE…

481791-houseDr-House-7-poster-nuovo-3Até mesmo House em suas oito temporadas. A série foi uma das melhores dos últimos anos, sofreu com a grande quantidade de episódios, fato que engessa muitas produções. No entanto, foram 177 capítulos de uma história que mostrou um protagonista especialista em diagnosticar doenças e o próprio ser humano.

Com passar dos anos, não era quebra-cabeça dos casos mais intrigantes da medicina que montavam o mote principal da trama. Na verdade, o que realmente nos instigava era relação de House com o mundo ao seu redor. De onde vinha a indiferença, a falta de vontade de se conectar com outra pessoa?

Meu impulso natural é duvidar da felicidade dos outros.

Você diz que Deus te protege, mas olha pra os dois lados antes de atravessar a rua.

Não acredite em um sorriso, a maldade está na mente.

Se você não pode viver com a resposta, não pergunte.

Não existem pessoas frias, existem pessoas que aprenderam a bloquear seus sentimentos.

31036_gregory-house-escena-capitulo-8-22O mau humor era constante em suas declarações, ninguém escapava de suas palavras ácidas. A dor constante em sua perna transferia essa enfermidade para todas as áreas de sua existência. O personagem de Hugh Laurie zombava das vidas que salvava todos os dias no hospital. Fazia piadas das mentiras que a maioria (ou todas) pessoas contam ou viviam para atingir uma verdadeira felicidade. Adorava fazer jogos psicológicos com Dra. Cameron (Jennifer Morrison), Dr. Chase (Jesse Spencer) e Dr. Foreman (Omar Epps), Dr. Taub (Peter Jacobson), Dr. Kutner (Kal Penn), Dra. Thirteen (Olivia Wilde) e a Dra. Cuddy (Lisa Edelstein). Também sofreram a Dra. Park (Charlyne Yi) e a Dra. Jessica Adams (Odette Annable). Não importava o alvo, House sempre tinha o intuito de mostrar que estava certo e a frente de qualquer um.

As coisas mudam não quer dizer que elas melhoram.

Todos mentem. Viver com essas mentiras é o que nos torna felizes.

Dizem e que o tempo muda tudo, mas não é verdade. Fazer coisas é que muda algo, não fazer nada deixa as coisas do jeito que estão.

Quando se quer saber a verdade sobre alguém, esta pessoa deve ser a última a ser consultada.

Qualquer um pode odiar a humanidade depois de levar um tiro. É necessário um grande homem para odiá-la antes.

2271981409_1779da14f9_oApesar de todo esse enredo, a vontade de apenas dar valor a carros e motos envenenados, a sina destrutiva de si próprio com drogas e adrenalina, pode se dizer que Gregory House evitava a construção de relações sociais para impedir a perda posteriormente. Por mais que “I Don´t Care” era proferido constantemente em sua voz, ele passava todos os limites para salvar um paciente, não importava as barreiras médicas, éticas ou morais. Mesmo com o jeito nada político, ele era uma força positiva. Em suas estratégias insanas, de alguma maneira despertava algo em seus médicos, conseguia admiração e respeito.

Esses não são os jogos que proibiram para menores? Ah! É verdade, por isso que são tão viciantes.

Fique calmo, você não vai sentir nada, só uma dor alucinante.

Leia menos… veja mais TV.

As pessoas são hipócritas dizem que querem a verdade, mas vivem constantemente na mentira por terem medo de mostrar as suas reais vontades.

Costumamos fazer perguntas com bases nas respostas que queremos ouvir.

O sucesso dura até alguém arruiná-lo, o fracasso dura pra sempre.

House-Wilson-officeE o que dizer da relação com Wilson (Robert Sean Leonard)? Eles nunca se abraçaram, trocaram palavras bonitas sobre a amizade. Todavia, estavam juntos todo o tempo. Seja nas discussões sobre a vida, na hora de jogar vídeo games, promover disputas ou arranjar alguma stripper. Era algo verdadeiro, isso ficava evidente na troca de olhares, respeito e admiração mútuos. Uma ligação bem similar a Sherlock Holmes e Watson.

Além de House, os outros personagens foram se desenvolvendo. A série teve episódios espetaculares. Foi uma comédia, um drama, um filme de terror, todas essas sensações em questões de segundos.

house-and-wilsonSe você está morrendo, todo mundo passa a te amar.

Não dizem que não vivemos sem amor? Oxigênio é ainda mais importante.

As pessoas ganham o que ganham. Não tem nada a ver com o que elas merecem.

Se não sabe mentir, também não sabe quando estão mentindo para você.

Mentiras são como crianças. Dão trabalho, mas valem à pena, porque o futuro depende delas.

As pessoas escolhem os caminhos que as dão as maiores recompensas com o menor esforço.

É uma verdade básica da condição humana que todo mundo mente. A única variável é sobre o quê.

Quase morrer não muda nada. Morrer muda tudo.

House1

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s