LINCOLN

daniel-day-lewis-lincoln-newO 16º presidente dos Estados Unidos é um mito sem sombra de dúvidas. Ele é usado constantemente na cultura popular como quadrinhos, desenhos, cinema, onde ele protagonizou clássicos e até caçou vampiros. Sem contar que qualquer pessoa o vê no dia a dia por meio das notas de cinco dólares. Steven Spielberg coloca em seu mais novo filme o foco em Lincoln e mostra qual foi o seu maior legado. A trama, roteirizada pelo dramaturgo Tony Kushner, se baseia na biografia Team of Rivais: The Genius of Abraham Lincoln, escrita pela historiadora vencedora do Pulitzer Doris Kearns Goodwin.

O presidente está em uma situação que envolve uma batalha entre duas frentes: a luta pela votação da emenda constitucional que acabaria com a escravidão nos EUA e a vitória na Guerra da Secessão pelo Norte. Lincoln precisa aproveitar que os estados sulistas e defensores da escravidão estão fora do Congresso. Por isso, utiliza todas as artimanhas possíveis para conseguir chegar a seu objetivo. O Sul está em áreas de agricultura e espera continuar no crescimento econômico com o trabalho de escravos.Lincoln-Daniel-Day-Lewisroom

Nenhuma solução anula a outra, porém Lincoln precisa arquitetar bem seu plano e não gerar crise nos dois planos de finalizar a Guerra Civil. Ao mesmo tempo, o protagonista enfrenta problemas familiares que permeiam seu escritório, além dos dilemas da nação. Apesar da época cheia de conflitos, a guerra principal do roteiro é a verbal. O elenco conta ainda com Sally Field (Mary Todd, mulher do presidente), Tommy Lee Jones (Thaddeus Stevens, líder republicano e congressista da Pennsylvania, a favor da abolição), Joseph Gordon-Levitt (Robert Todd Lincoln, filho mais velho do presidente), David Strathairn  (William H. Seward, Secretário de Estado) e Jared Harris (o general Ulysses S. Grant), entre outros.Lincoln2Daniel Day-Lewis é um monstro da atuação, sua caracterização como Lincoln está perfeita, um ótimo trabalho de maquiagem. Seus gestos e a habilidade da retórica dão uma maior verdade para as dimensões de seu papel. Além da firmeza nas ações, o senso de humor e a sensibilidade foram indispensáveis. Os anos de guerra pesam, é notável os reflexos que resultam na imagem do personagem. A postura, o olhar, Lincoln vai envelhecendo literalmente em cena.

A fotografia é um destaque a parte, a cor cinza é a predominante, atmosfera que permeia a Casa Branca. Os únicos pontos de luz só surgem para atingir o presidente. Os enquadramentos aumentam ainda mais o 1,90m do protagonista. Já na primeira cena, um dos soldados confederados fala com uma pessoa que não aparece em cena, como se estivesse conversando com um Deus. Segundos depois, o expectador se dá conta quem era esse ser que foge dos padrões humanistas. Todos esses recursos utilizados por Spielberg contribuíram para construir e lembrar um dos maiores nomes da história americana.Annex - Fonda, Henry (Young Mr. Lincoln)_06O Lado Ford

Em um breve encontro com um dos maiores nomes do cinema, o adolescente Steven Spielberg aprendeu uma lição sobre a linha do horizonte. Apesar de confuso no início, ele aprendeu a filmar com o mestre John Ford. Não é à toa, que ele coloca umas homenagens ao diretor em suas obras. Está lá em E.T. – O Extraterrestre uma paródia/releitura de Depois do Vendaval e seu mais novo lançamento tem inspirações em A Mocidade de Lincoln, clássico de 1939 de John Ford. O filme é focado nos primeiros passos do jovem Abraham Lincoln (Henry Fonda): sua formação no Direito, a perda da primeira esposa e a difícil defesa dos irmãos Matt e Adam Clay, acusados de homicídio. Imagem1O protagonista tem grande poder com as palavras, evita até um linchamento, um costume da época da Depressão. Sai da penumbra e é iluminado pela claridade, tem conhecimento nos livros, trata pobres e ricos da mesma maneira. É o processo de concepção de um mito que está sempre no centro nas composições das imagens, além compartilhar com o expectador o mesmo ponto de vista, uma criação de cumplicidade. A cena em que lê um livro debaixo da árvore, o personagem recebe conhecimento como se a fonte fosse à natureza, uma espécie de Moisés nos Dez Mandamentos, um sinal de pureza para o povo.

Com o fim da guerra, Lincoln está em paz, pode ir ao teatro. Daniel Day-Lewis se afasta e a câmera o acompanha em um corredor até ele sumir com a distância. Um típico herói fordiano, sempre solitário e que desaparece após cumprir sua missão, assim como na atuação de Henry Fonda ao resolver o primeiro caso de sua carreira na área do direito. O Lincoln de Ford cresceu e se tornou o Lincoln de Spielberg.Imagem2Steven Spielberg coloca o melodrama no tom certo, diferente de suas obras que tinham um tom exagerado e beirava a chatice.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s