O CINEMA DE PIERRE ETAIX

Etaix - Le Grand Amour © Collection CineÌ matheÌ€que
De 11 a 22 de junho no CCBB – São Paulo, O Cinema De Pierre Etaix faz uma retrospectiva de um dos maiores talentos cômicos da França, assistente de Jacques Tati, com filmes na linhagem de Buster Keaton e Charles Chaplin, vencedor do Oscar de melhor curta-metragem em 1963.

Palhaço, cineasta, desenhista, comediante, mágico, artista de circo: a gama de talentos de Pierre Etaix, hoje com 85 anos, é vasta. Nascido em Roanne, ele é considerado um dos artistas franceses mais importantes do século 20. Trabalhando como desenhista e ator de cabaré em Paris, ele ingressa no cinema como desenhista de esquetes, criador de gags e assistente de direção de Meu Tio (1958), o clássico de Jacques Tati. 

Etaix - Yoyo © 2010 Studio 37-Fondation Groupama Gan-Fondation TechniAo longo de sua carreira, tanto nos teatros e casas noturnas de Paris quanto no cinema, Etaix se inscreve na linhagem dos grandes mestres do slapstick, o cinema cômico do tempo dos filmes mudos, ao lado de Buster Keaton, Charles Chaplin, o Gordo e o Magro e Harold Lloyd. Em seu tempo, sua arte física a serviço da comédia o fez ser na França o que Jerry Lewis foi nos Estados Unidos.

O aprendizado com Tati o leva a dirigir seu primeiro curta, Ruptura, em 1963. A partir de então, ao longo de quase toda a sua carreira, seus filmes serão escritos em parceria com Jean-Claude Carrière, o grande roteirista de filmes como “A Bela da Tarde” (1967) e “O Discreto Charme da Burguesia” (1972). Em 1963, Etaix ganha o Oscar de melhor curta-metragem com “Feliz Aniversário”.

Etaix - Le Soupirant © 2010 Studio 37-Fondation Groupama Gan-Fondatio

Um de seus longas-metragens mais célebres é YoYo (1965), em que ele vive nas telas seu personagem de circo mais querido pelo público, que ele retoma até hoje em seus espetáculos.

Mas sua obra não se restringe à comédia de puro divertimento. Em 1969, seu filme Terra de Cocagne, rodado em 16mm, é mal recebido pela crítica, que não lhe perdoa o olhar triste sobre o crescimento da sociedade de consumo, na rebarba de Maio de 68.

Os cinco filmes de Etaix escritos em parceria com Carrière foram alvo de um processo de disputa de direitos autorais entre o artista e a companhia produtora. Artistas como Woody Allen manifestaram seu apoio a Etaix em abaixo-assinados na internet. Até que, em 2009, a Fundação Technicolor para o Patrimônio do Cinema e a Fundação Groupama Gan para o Cinema decidiram trabalhar lado a lado com Pierre Etaix e  Carrière para resolver de vez todas as questões de direitos autorais. Felizmente, o artista recuperou todos os direitos sobre seus filmes em 2010 e desde então os filmes têm circulado o mundo.

Etaix - En pleine forme © Collection CineÌ matheÌ€que

“Na prática, os filmes de Pierre Etaix não são mais vistos há 20 anos. Eles passaram batidos para uma geração inteira de espectadores”, diz Carrière. “O trabalho de Pierre Etaix no circo, no music-hall e no cinema, seus escritos e sua obra pictórica mostram que ele é o digno herdeiro de uma longa tradição dos palhaços, que ele soube prolongar até seus filmes, como seus predecessores tinham feito em sua época”, diz Odile Etaix.

Veja a programação completa acessando o site http://culturabancodobrasil.com.br/portal/o-cinema-de-pierre-etaix

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s