MOSTRA CINEMA NOVO

glauber-rocha-2

A Cinemateca Brasileira, em parceria com a Unifesp, vai realizar, entre os dias 30 de abril e 15 de junho, uma ampla retrospectiva de filmes e uma exposição dedicadas a um dos movimentos centrais da cultura brasileira – o Cinema Novo.

A mostra exibirá 53 filmes – 35 longas-metragens e 18 curtas-metragens -, diversos deles raramente projetados. A retrospectiva apresenta alguns dos primeiros passos de cineastas ligados ao movimento: Pátio (1959), primeiro curta de Glauber Rocha, uma obra experimental interpretada por Helena Ignez;O Poeta do Castelo e O Mestre dos Apipucos (1959), dois curtas de Joaquim Pedro de Andrade acerca do trabalho de Manoel Bandeira e Gilberto Freyre, respectivamente; Arraial do Cabo (1960), obra inaugural de Paulo César Saraceni, dirigido em parceria com o fotógrafo Mário Carneiro; e o longa coletivo Cinco Vezes Favela (1962), com episódios de Joaquim Pedro de Andrade, Leon Hirszman, Carlos Diegues, Miguel Borges e Marcos Farias.

Serão exibidas novas cópias em 35mm de Esse Mundo é Meu (1964), de Sérgio Ricardo, e O Bravo Guerreiro (1968), de Gustavo Dhal, produzidas especialmente para esta mostra; e cópias restauradas anteriormente pela Cinemateca, e ainda inéditas em São Paulo, de filmes como Câncer(1968/1972), de Glauber Rocha; São Bernardo (1972), de Leon Hirszman;Brasil Ano 2000 (1969), de Walter Lima Jr.; Os Cafajestes (1962), de Ruy Guerra; e O Padre e a Moça (1966), de Joaquim Pedro de Andrade.

Estão também na programação filmes raros como Gimba, presidente dos valentes (1963), de Flávio Rangel; Ganga Zumba (1964), A grande cidade(1966) e Os herdeiros (1969), de Carlos Diegues; O grito da terra (1964), de Olney São Paulo; Garota de Ipanema (1967), de Leon Hirszman; e Memória de Helena (1969), de David Neves.

glauber-rocha-1680-download

Uma grande exposição complementa a experiência da mostra, com diversos materiais referentes à produção dos filmes, como roteiros originais e storyboard, que registram o processo criativo das obras; documentos que mostram a enorme repercussão do movimento no Brasil e no exterior (reportagens de jornais nacionais e estrangeiros, artigos da crítica especializada, folhetos dos filmes e de eventos, certificados de premiação); documentos que registram as relações pessoais e profissionais entre os integrantes do cinema novo (cartas, poemas, críticas dos filmes); publicações diversas sobre o Cinema Novo; materiais de divulgação: cartazes originais, muitos criados por grandes nomes das artes gráficas no país (Rogério Duarte, Ziraldo, Rubens Gerchman, Lielzo Azambuja) e fotografias (de cena, de filmagens, das personalidades, reprodução de fotogramas dos filmes).

Confira a programação completa no site oficial da Cinemateca.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s